Mikro 11

Por alguma razão ainda desconhecida, mas irresistível, o velho aprendiz medíocre resolveu retomar seus estudos de piano, agora na modalidade autodidata, pelo menos por enquanto. De posse de um instrumento eletrônico menos fanhoso e mais sofisticado que o… Ler mais

Abissal

Não é incomum que eu navegue pelo Extrato sem considerá-lo sério, austero e portanto, para os padrões atuais, enfadonho. Sua linguagem é rebuscada e a preocupação com a estética, excessiva. Os temas são geralmente elevados e a aversão… Ler mais

Estudo Modesto II

Utilizando a ardilosa estratégia já mencionada aqui no Extrato, nosso aprendiz medíocre, um iludido congênito, resolve novamente bancar o compositor ao distribuir notas em uma pauta. Desta vez, valendo-se de sua débil criatividade musical, adensa um pouco mais… Ler mais

Mikro 22

Aqui, o nosso aprendiz, além de medíocre, mostra-se atrevido e, para os puristas, desrespeitoso. No seu piano fanhoso, transformado em órgão fanhoso, esse intérprete bisonho toca uma pequena grande peça de Bartók: o Mikrokosmos 22. O resultado agradou o… Ler mais

Despudor

Acanhando, o aprendiz medíocre aproxima-se de seu piano fanhoso com um lápis, uma borracha e uma folha pautada por pentagramas. Ali, tecla aleatoriamente algumas notas e após um tempo significativo, começam a lhe agradar certas sequências. Apesar de… Ler mais

Mikro 34

Concordo com quem diz que a peça 34 (In Phrygian Mode) é a mais bela do Mikrokosmos Volume 1 de Béla Bartók. Toco essa peça, repetindo, sem o menor pudor, as mesmas gravação e performance medíocres de uma outra,… Ler mais

Aprendiz

Eis uma pequena grande peça de Béla Bartók, Dance in Canon Form (Mikrokosmos nº 31), gravada e tocada, de maneira rudimentar, por um aprendiz medíocre: eu.