Zuído

Padeço de um mal denominado tinido, nome técnico para zumbido no ouvido. Trata-se de um ruído, ou zuído, de alta frequência; aquele mesmo que nos acompanha quando saímos de um lugar onde havia música alta. A intensidade sonora de ambientes inóspitos, como a de uma boate, por exemplo, fatigam os sensores ciliares do ouvido, responsáveis por converter a onda sonora em sinal elétrico e emiti-lo ao cérebro. O zuído, consequência desse cansaço ciliar, cessa após uma boa dormida, a não ser que o tempo e a intensidade sonora aos quais o ouvido foi submetido tenham sido tamanhos que a fadiga atingiu o nível de dano irreversível, adequadamente chamado trauma acústico. Nesse caso, como é o meu, o impertinente som “fininho” permanece ligado dia e noite, faça chuva ou faça sol, aqui ou na China. O ambiente inóspito que causou o meu trauma foi um fone de ouvido plugado a um iPod, emitindo o som filtrado e artificialmente turbinado do mp3, a 50% do volume máximo. O fato aconteceu após ouvir, a alguns anos atrás, o bom álbum Inside In/Inside Out, do grupo The Kooks. Graças a esse malfadado evento, desisti completamente do mp3 e dos fones de ouvido. De qualquer maneira, segue minha avaliação do álbum.

Deixe um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s